Segunda-feira da II Semana da Quaresma

Hora Média
Oração das Quinze Horas (Hora Nona)

introdução

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Hino

O número sagrado,
três vezes três das horas,
abrindo um novo espaço,
nos chama à prece, agora.
Ao nome de Jesus,
perdão seu povo implora.

O Cristo ouviu a prece
sincera do ladrão.
A graça foi-lhe dada,
por sua confissão.
Jesus ouvindo a súplica,
também nos dê perdão.

Agora morre a morte,
vencida pela cruz;
após as trevas densas,
serena, volta a luz;
o horror do mal se quebra,
na mentes Deus reluz.

A Cristo nós rogamos
e ao Pai, eterno Bem,
com seu Divino Espírito,
amor que os sustém,
proteja sua Igreja
agora e sempre. Amém.

Salmodia
-- salmodia complementar --

Ant.
Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força.

Salmo 118 (119),41-48

VI (Vau)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática (Lc 8,21).

41 Senhor, que desça sobre mim a vossa graça *
e a vossa salvação que prometestes!
42 Esta será minha resposta aos que me insultam: *
“Eu conto com a palavra do Senhor!”

43 Não retireis vossa verdade de meus lábios, *
pois eu confio em vossos justos julgamentos!
44 Cumprirei constantemente a vossa lei; *
para sempre, eternamente a cumprirei!

45 É amplo e agradável meu caminho, *
porque busco e pesquiso as vossas ordens.
46 Quero falar de vossa lei perante os reis, *
e darei meu testemunho sem temor.

47 Muito me alegro com os vossos mandamentos, *
que eu amo, amo tanto, mais que tudo!
48 Elevarei as minhas mãos para louvar-vos *
e com prazer meditarei vossa vontade.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Salmo 39(40),2-14.17-18

Ação de graças e pedido de auxílio

Tu não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste-me um corpo (Hb 10,5).


I

2 Esperando, esperei no Senhor, *
e inclinando-se, ouviu meu clamor.
3 Retirou-me da cova da morte *
e de um charco de lodo e de lama.

– Colocou os meus pés sobre a rocha, *
devolveu a firmeza a meus passos.
4 Canto novo ele pôs em meus lábios, *
um poema em louvor ao Senhor.

– Muitos vejam, respeitem, adorem *
e esperem em Deus, confiantes.
=5 É feliz quem a Deus se confia; †
quem não segue os que adoram os ídolos *
e se perdem por falsos caminhos.

6 Quão imensos, Senhor, vossos feitos! *
Maravilhas fizestes por nós!
– Quem a vós poderá comparar-se *
nos desígnios a nosso respeito?
– Eu quisera, Senhor, publicá-los, *
mas são tantos! Quem pode contá-los?

7 Sacrifício e oblação não quisestes, *
mas abristes, Senhor, meus ouvidos;
= não pedistes ofertas nem vítimas, †
holocaustos por nossos pecados. *
8 E então eu vos disse: “Eis que venho!”

= Sobre mim está escrito no livro: †
9 “Com prazer faço a vossa vontade, *
guardo em meu coração vossa lei!”  

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

II

=10 Boas-novas de vossa justiça †
anunciei numa grande assembleia; *
vós sabeis: não fechei os meus lábios!

=11 Proclamei toda a vossa justiça, †
sem retê-la no meu coração; *
vosso auxílio e lealdade narrei.
– Não calei vossa graça e verdade *
na presença da grande assembleia.

12 Não negueis para mim vosso amor! *
Vossa graça e verdade me guardem!
=13 Pois desgraças sem conta me cercam, †
minhas culpas me agarram, me prendem, *
e assim já nem posso enxergar.

= Meus pecados são mais numerosos †
que os cabelos da minha cabeça: *
desfaleço e me foge o alento!
14 Dignai-vos, Senhor, libertar-me, *
vinde logo, Senhor, socorrer-me!

17 Mas se alegre e em vós rejubile *
todo ser que vos busca, Senhor!
– Digam sempre: “É grande o Senhor!” *
os que buscam em vós seu auxílio.

=18 Eu sou pobre, infeliz, desvalido, †
porém, guarda o Senhor minha vida, *
e por mim se desdobra em carinho.
– Vós me sois salvação e auxílio: *
vinde logo, Senhor, não tardeis!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força.

Leitura breve             Is 58,6a.7

Acaso o jejum que prefiro não é outro: não é repartir o pão com o faminto, acolher em casa os pobres e peregrinos? Quando encontrares um nu, cobre-o, e não desprezes a tua carne.

V. Desviai o vosso olhar dos meus pecados.
R. E apagai todas as minhas transgressões!

Oração

Ó Deus, que para remédio e salvação nossa nos ordenais a prática da mortificação, concedei que possamos evitar todo pecado e cumprir de coração os mandamentos do vosso amor. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.