Invitatório

 ________________________________

Ofício das Leituras

introdução
ouvir:
V. Vinde, ó Deus em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.
Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

 

Hino

Agora é tempo favorável,

divino dom da Providência,
para curar o mundo enfermo
com um remédio, a penitência.

 

Da salvação refulge o dia,
na luz de Cristo a fulgurar.

O coração, que o mal feriu,

a abstinência vem curar.

 

Em corpo e alma, a abstinência,

Deus, ajudai-nos a guardar.

Por tal passagem, poderemos

à páscoa eterna, enfim, chegar.

 

Todo o Universo vos adore,

Trindade Santa, Sumo Bem.

Novos por graça entoaremos

um canto novo a vós. Amém.

Salmodia

 

Ant. 1 Eu vos amo, ó Senhor!Sois minha força!

 

Salmo 17(18),2-30

 

Ação de graças pela salvação e pela vitória

Na mesma hora aconteceu um grande terremoto (Ap 11,13).

 

I

2 Eu vos amo, ó Senhor! Sois minha força, *

3 minha rocha, meu refúgio e Salvador!

= Ó meu Deus, sois o rochedo que me abriga, †

Minha força e poderosa salvação, *

sois meu escudo e proteção: em vós espero!

 

4 Invocarei o meu Senhor: a ele a glória! *

e dos meus perseguidores serei salvo!

5 Ondas da morte me envolveram totalmente, *

e as torrentes da maldade me aterraram;

6 os laços do abismo me amararam *

e a própria morte me prendeu em suas redes.

 

7 Ao Senhor eu invoquei na minha angústia *

e elevei o meu clamor para o meu Deus;

– de seu Templo ele escutou a minha voz, *

e chegou a seus ouvidos o meu grito.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Eu vos amo, ó Senhor! Sois minha força!

 

Ant. 2 O Senhor me libertou, porque me ama.

 

II

=8 A terra toda estremeceu e se abalou, †

os fundamentos das montanhas vacilaram *

e se agitaram, porque Deus estava irado.

=9 De seu nariz, fumaça em nuvens se elevou, †

da boca saiu fogo abrasador, *

 

dos seus lábios, carvões incandescentes.

 

10 Os céus ele abaixou e então desceu *

pousando em nuvens pretas os seus pés.

11 Um querubim o conduzia no seu voo, *

sobre as asas do vento ele pairava. 

 

12 Das trevas fez um véu para envolver-se, *

escondeu-se em densas nuvens e água escura.

13 No clarão que procedia de seu rosto, *

carvões incandescentes se acendiam.

 

14 Trovejou dos altos céus o Senhor Deus, *

o Altíssimo fez ouvir a sua voz;

15 e, lançando as suas flechas, dissipou-os, *

dispersou-os com seus raios fulgurantes.

 

16 Até o fundo do oceano apareceu, *

e os fundamentos do universo foram vistos,

– ante as vossas ameaças, ó Senhor,*

e ao sopro abrasador de vossa ira.

 

17 Lá do alto ele estendeu a sua mão *

e das águas mais profundas retirou-me;

18 libertou-me do inimigo poderoso *

e de rivais muito mais fortes do que eu.

 

19 Assaltaram-me no dia da aflição, *

mas o Senhor foi para mim um protetor;

20 colocou-me num lugar bem espaçoso: *

o Senhor me libertou, porque me ama.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. O Senhor me libertou, porque me ama.

 

Ant. 3 Ó Senhor, fazei brilhar a minha lâmpada!

Ó meu Deus, iluminai as minhas trevas!

 

III

21 O Senhor recompensou minha justiça *

e a pureza que encontrou em minhas mãos,

22 pois nos caminhos do Senhor eu caminhei, *

e de meu Deus não me afastei por minhas culpas.

 

23 Tive sempre à minha frente os seus preceitos, *

e de mim não afastei sua justiça.

24 Diante dele tenho sido sempre reto *

e conservei-me bem distante do pecado.

25 O Senhor recompensou minha justiça *

e a pureza que encontrou em minhas mãos.

 

26 Ó Senhor, vós sois fiel com o fiel, *

sois correto com o homem que é correto;

27 sois sincero com aquele que é sincero, *

mas arguto com o homem astucioso.

28 Pois salvais, ó Senhor Deus, o povo humilde, *

mas os olhos dos soberbos humilhais.

 

29 Ó Senhor, fazeis brilhar a minha lâmpada; *

ó meu Deus, iluminais as minhas trevas.

30 Junto convosco eu enfrento os inimigos, *

com vossa ajuda eu transponho altas muralhas.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Ó Senhor, fazei brilhar a minha lâmpada!

Ó meu Deus, iluminai as minhas trevas!

 

V. Convertei-vos e mudai a vossa vida.

R. Renovai-vos de espírito e coração.

 

Primeira leitura

Do Livro do Êxodo             10,21−11,10

 

Praga das trevas e anúncio da morte dos primogênitos

21O Senhor disse a Moisés: “Estende a mão para o céu, e haja trevas sobre a terra do Egito, tão densas que se possam apalpar”. 22Moisés estendeu a mão para o céu, e, durante três dias, houve trevas horríveis em toda a terra do Egito. 23Ninguém podia ver seu irmão, nem mover-se do lugar onde estava,durante três dias. Mas, onde quer que habitassem os filhos de Israel, havia luz.

24O Faraó mandou buscar Moisés e Aarão e lhes disse: “Ide e sacrificai ao Senhor; só vossas ovelhas e vossos bois ficarão; as vossas crianças também poderão ir convosco”. 25Moisés respondeu: “Mesmo que nos desses as vítimas dos sacrifícios e dos holocaustos, que vamos oferecer ao Senhor nosso Deus, 26os nossos rebanhos deverão ir conosco. Deles não ficará nenhuma rês, porque é deles que devemos tomar tudo que é necessário para o culto ao Senhor nosso Deus; até porque, enquanto não chegarmos lá, ignoramos o que deveremos oferecer ao Senhor”.

27Mas o Senhor endureceu o coração do Faraó, e ele não quis deixá-los partir. 28O Faraó disse a Moisés: “Afasta-te de mim, e cuida de não tornares a ver a minha face, pois, no dia em que me apareceres, morrerás!”

29Moisés respondeu: “Assim se fará, como disseste: não verei mais a tua face”.

11,1 O Senhor disse a Moisés: “Mandarei mais uma praga ainda sobre o Faraó e sobre o Egito. Depois disso, ele vos deixará ir embora; e mais: ele mesmo vos obrigará a sair daqui. 2Dize, pois, ao povo que cada homem peça ao vizinho, e cada mulher à vizinha, objetos de prata e de ouro”. 3O Senhor fez com que o povo conquistasse as boas graças dos egípcios. Também Moisés era um homem muito considerado na terra do Egito pelos servos do Faraó e por todo o seu povo.

4Moisés disse: “Assim diz o Senhor: À meia-noite farei uma incursão pelo Egito, 5e morrerão todos os primogênitos na terra dos egípcios, desde o primogênito do Faraó, que se assenta sobre o seu trono, até ao primogênito da escrava que faz girar a mó, e a todos os primogênitos dos animais. 6E haverá, então, em toda a terra do Egito, um clamor tal como nunca houve nem haverá jamais. 7Mas, quanto aos filhos de Israel, não se ouvirá sequer um cão rosnar, nem contra os homens nem contra os animais, para que saibas com que grande milagre o Senhor distingue entre egípcios e israelitas. 8Então todos estes teus servos virão procurar-me e se prostrarão diante de mim, dizendo: ‘Vai-te, tu e todo o povo que te segue’. Depois disso, partirei”. E Moisés, fervendo de cólera, retirou-se da presença do Faraó.

9O Senhor disse a Moisés: “O Faraó não vos ouvirá, para que se multipliquem os meus prodígios na terra do Egito”. 10Moisés e Aarão realizaram todos estes prodígios diante do Faraó; mas o Senhor endureceu o coração do Faraó, e ele não deixou que os filhos de Israel saíssem da sua terra.

 

Responsório             Cf. Sb 18,4; 17,20; 18,1

 

R. Mereciam ser privados da luz

os que encerraram em prisões vossos filhos,

* Por cujo meio deveria iniciar-se

a luz da lei imperecível,neste mundo.

V. Sobre os egípcios se estendia uma pesada e densa noite,

mas aos vossos escolhidos, uma luz de grande brilho.

* Por cujo.

 

Segunda leitura

Das Demonstrações de Afraates, bispo

(Dem. 11, De circumcisione, 11-12:PS 1,498-503)             (Séc.IV)

 

A circuncisão do coração

A lei e a aliança foram totalmente mudadas. Primeiramente Deus substituiu o pacto com Adão por outro que estabeleceu com Noé; e ainda estabeleceu outro com Abraão, substituindo-o depois por um novo, feito com Moisés. Como a aliança mosaica não era observada, ao chegar a plenitude dos tempos, Deus firmou uma aliança que não seria mais mudada. Com efeito, a Adão Deus ordenara não comer da árvore da vida, a Noé dera o arco-íris, a Abraão, já escolhido por causa da sua fé, deu mais tarde a circuncisão, como sinal característico de seus descendentes; a Moisés deu o cordeiro pascal para ser imolado como propiciação pelo povo.

Todas essas alianças eram diferentes umas das outras. Mas a circuncisão que agrada ao autor de todas elas é aquela de que fala Jeremias: Circuncidai o vosso coração (Jr 4,4). Pois se o pacto estabelecido por Deus com Abraão foi firme, também este é firme e imutável e não seria possível estabelecer depois outra lei, seja por parte dos que estão fora da Lei ou dos que a ela estão submetidos.

O Senhor deu a lei a Moisés, com todas as suas observâncias e preceitos; como não cumpriram, anulou a lei e seus preceitos e prometeu fazer uma nova aliança, que seria, como disse, diferente da primeira, embora fosse um só o doador de ambas. E é esta a aliança que prometeu dar: Todos se reconhecerão, do menor ao maior deles (Jr 31,34). Nessa aliança não há mais a circuncisão da carne como sinal de pertença a seu povo.

Sabemos com certeza, caríssimos irmãos, que durante várias gerações Deus estabeleceu leis que estiveram em vigor enquanto foi de seu agrado, e que mais tarde caíram em desuso, como disse o Apóstolo: “No passado, o reino de Deus assumiu formas diversas, segundo os diversos tempos”.

O nosso Deus é veraz e os seus preceitos são fidelíssimos. Por isso, cada uma das alianças foi em seu tempo firme e verdadeira. Agora, os circuncisos de coração têm a vida por meio da nova circuncisão que se realiza no verdadeiro Jordão, isto é, por meio do batismo para a remissão dos pecados.

Josué, filho de Nun, com uma faca de pedra circuncidou o povo pela segunda vez, quando ele e seu povo atravessaram o rio Jordão. Jesus, nosso Salvador, circuncidou pela segunda vez, com a circuncisão do coração,os povos que nele creram purificados pelo batismo e circuncidados com a espada que é a palavra de Deus, mais cortante do que qualquer espada de dois gumes (Hb 4,12).

Josué, filho de Nun, introduziu o povo na terra da promissão; Jesus, nosso Salvador, prometeu a terra da vida a todos que atravessassem o Jordão, cressem nele e fossem circuncidados no coração.

Felizes, portanto, os que foram circuncidados em seu coração e renasceram das águas da segunda circuncisão! Estes receberão a herança prometida, juntamente com Abraão, guia fiel e pai de todos os povos, porque a sua fé lhe foi atribuída como justiça.

 

Responsório             Cf. Hb 8,8b.10b; cf. 2Cor 3,3

 

R. Hei de fazer nova aliança com a casa de Israel,

colocando em suas mentes minhas leis e mandamentos.

* Escreverei as minhas leis em seus próprios corações;

não com tinta escreverei,

mas com o Espírito do Deus vivo;

V. Não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne

que são vossos corações. * Escreverei.

Oração

Considerai, ó Deus, com bondade o fervor do vosso povo. E, enquanto mortificamos o corpo, sejamos espiritualmente fortalecidos pelos frutos das boas obras. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.